quarta-feira, janeiro 27, 2010

Dias melhores

Acho engraçado como minhas tragédias soam como piada
É sério!
Não, não estou culpando vocês que riram de tudo o que tem me acontecido, nesses meus dias de mãe 24hs e rainha do lar.
Isso não acontece de hoje

Lembro que riam das minhas histórias desde quando eu era aborrecente
Essa a Crixx vai lembrar

Um mini flashback, por favor
Teve uma vez que eu e Cris levamos um corridão da torcida do Atlético e do Corinthians no terminal.
Uma das razões para eu odiar futebol
Me explica o que a torcida do Corinthinas fazia em um terminal de ônibus de Curitiba?
Me explica menha phelha!
Eu vou te poupar dos detalhes, porque apesar de minha mãe na época ter dito que eu iria rir disso tudo, eu ainda não acho graça... toda vez que lembramos dessa história ela sempre ri...

!!!
Confesso, eu ri...
Que ódio – eu também ri.

O fato é, voltavamos da pscina, lindas e loiras
Flofis e saltitantes, quando levamos o maior corridão dessas duas torcidas
Enfrentamos esses animais à unhadas – literalmente, se é que você está entendendo.
Naquele dia, aprendi a correr com as pernas fechadas!
Tentaí, vê como é!
E aprendi também nunca mais sair em dia de jogo.

Voltei pra casa com medo do que minha mãe acharia disso tudo
Talvez minha vida social tivesse chegado ao fim
Ela nunca mais deixaria sua pequena filhinha sair de casa sozinha
Nem atravessar a rua!
Nem lavar a louça!

Mas no meio da história ela já se matava de rir
Tive de parar no meio para ela respirar
E eu para me recuperar do susto
Como assim ela estava rindo?
Tudo bem que além de contar eu dramatizei tudo, fiz as caras, as bocas, a corridinha de pernas fechada, tudo na maior seriedade para ela entender o drama.
E pro meu espanto ela ria, gargalhava...

E foi assim que comecei a acreditar que a minha vida é como se fosse uma comédia romântica
Eu posso ser presa na Tailândia como Bridget Jones que no fim tudo fica bem
Eu posso perder o emprego e ficar devendo para o mundo todo como a Becky Bloom que tudo ficará bem!
Eu posso perder o marido e dar a volta por cima como a Clarie Walsh do livro Melância

Não, não posso perder o marido... peguei pesado!
Mas o fato é:
Posso levar um corridão das torcidas organizadas
Posso ter o sofá furado a golpes de lápis
A unha cortada com a faca, quando eu pico a abobrinha...
Que no fim tudo ficará bem!

Admito que não começamos bem a semana, mas ontem o dia foi melhor
Minha geladeira foi arrumada, agora não grita e nem pinga...
O cara do papel de parede vem fazer a instalação de um novo papel no meu lavabo

Não falei sobre o meu lavabo, né não?
Tivemos um pequeno probleminha de vazamento
Isso pra não te falar que estourou a hidra e inundamos minha sala de estar e jantar além do elavador do prédio, um verdadeiro desastre em família.

Fato que já foi superado e arrumado
E agora o papel de parede que foi arrancado as pressas, será reposto.
Estou super empolgada

Dá uma olhada como ela era antes



E agora como ele está



Depois mostro como ele ficou pronto...
Ahh e o sofá, eu super me animei em procurar um tecido bem lindo para fazer uma capa estilosa pra ele.
Minha mãe que não pareceu muito animada em fazer a capa...
Ajudaê mãe!


Viu só?!
Dias melhores sempre vem! Acreditem.


Ass. Rafa Claire Jones Bloom.

9 comentários:

... disse...

Nossa amiga como eu ia esquecer dessa história, foi horrível, que medão que passamos , não gosto nem de lembrar, eu fiquei com trauma de torcida desde aquele dia rsssss.....e aí gostou do Melancia???? Eu dou tanta risada da Marian Keyes tanto qto das suas histórias, ela consegue transformar tragédias em risos, igual vc... Isso é um grande dom viu....Beijocas migaaaa lindaaa

blog da Rê disse...

Rafa do céu, que história é essa?! Pelamor, eu teria morrido só do susto!!!!
E seu sofá, minhas condolências... Também tenho um branquinho, lindo, escolhido a dedo que agora vive cheio de mãozinhas melecadas, mas tudo bem... Mas como você disse, no fim tudo dá certo!!!
Bjim

Fer Senra disse...

caraca lindona
lonnnnge de mim rir das amigas..mas levar um corridao de torcida é de doer..kkkkk
eu nao chego nem perto da vila belmiro nesses dias de jogo...
afffff
se vc soubesse as confusoes q aconoteceram aqui no ap qdo reformei...pq tu acha q tenho ogerizaaaaa a reforma
ui

Videcorando disse...

oi Rafa
saudades
vc faz do limão uma limondada, né?
bjos
videcorando

Danny disse...

Misericórdia!!! Tô imaginando a cena de vcs correndo da torcida, desculpe amiga, mas também tive que rir, uahuahauahuahaua.
Que bom que vc consegue fazer piada nos momentos que deveria chorar, como disse sua amiga, isso é um grande dom.
Bjs!

Rober disse...

Eu já estou acostumado das pessoas rirem de minhas tragédias, descobri que quanto mais trágico e mais irritado eu estiver no momento, mais risadas eu tiro das pessoas.. ahahha
bem-vinda!

dias melhores sempre vêm

Aline e Júlia disse...

vc tem razão, sempre rimos de vc, mas a forma como vc conta fica hilária, vc tem uma veia humoristica tem né!
mas o importante é que no final td acaba sempre bem!

um big bj
espero que o diluvio pare nesta cidade, pq isso aqui ja é diluvio nem chuva é mais!

Mamãe Aline disse...

Fiquei aqui imaginando a "corridinha" e tive que rir. Se rimos a culpa é exclusiva sua...

Acredita que ontem me lembrei de vc em um hipermercado (Extra), aqui em BH? Pois é, me deparei com uma "Cápsula para lavar sutiãs com enchimento".
bom final de semana!

Zú Leide disse...

Raffa vc é mesma uma maluca muito engraçada,
vc devia ser parceira do Bruno Mazeo, ja pensou?
entaum ai o mes de janeiro foi agitadao, Hd, piolhos, sofá furado, amiga qto agito em tão pouco tempo..hehehe
mas é assim mesmo..
imagina se na vida tudo fosse muito certinhu, que graça teria?
bom revê-la...ou melhor ler seus escritos...
bjuus